Aditivos de Arrefecimento: Dicas sobre sua importância e aplicação correta

O objetivo central do sistema de arrefecimento é manter a temperatura constante de funcionamento do motor regulada, sem que aumente demais, o que garante que este funcione adequadamente, que haja rendimentos e que seu veículo não sofra danos, por conta de excesso de temperatura.

E o que mantém esse sistema funcionando de forma harmoniosa e segura? Isso mesmo, o fluido de arrefecimento – que nada mais é que a água desmineralizada junto ao aditivo.

E você sabe qual a importância do uso do aditivo no fluido de arrefecimento? Não? Pois a gente te conta!

Importância e as principais funções:

Primeiramente, os aditivos possuem 4 funções primordiais, que são:

– Diminuir a temperatura de fusão da mistura;

– Elevar a temperatura de ebulição da mistura;

– Deixar conservados os componentes mecânicos;

– Melhorar a troca térmica do sistema.

Agora, confira o motivo de você utilizar aditivo no fluido de arrefecimento:

– Ele protegerá os componentes metálicos, que estão presentes no sistema de arrefecimento, da oxidação prematura destes componentes;

– Lubrificará adequadamente a bomba do sistema de arrefecimento;

– Aumentará a vida útil do sistema, lubrificando as mangueiras, e, consequentemente, evitará que estas ressequem e fraturem, provocando vazamento na linha d’água.

Mas, agora que você sabe a importância e motivos pelos quais usar, fica a questão: quando é preciso trocar o aditivo?

É comum as montadoras recomendarem que o fluido aditivo seja trocado em intervalos de 30 mil quilômetros ou a cada 12 meses. Motivo este porque o aditivo tem prazo de validade, assim como a maioria dos produtos químicos. Logo, mesmo que o carro rode menos que 30 mil quilômetros, o indicado é realizar a troca. Mas, para se certificar adequadamente, consulte o Manual do Proprietário, para saber ao certo o período ideal de troca.

Porém, hoje em dia temos que fabricantes recomendem trocas em intervalos diferenciados, e até mesmo que indiquem aditivos chamados “long life” (“vida longa”, em tradução livre), porque estes não precisam ser trocados frequentemente. Então, recomendamos, e reforçamos que você, primeiramente, consulte o Manual do Proprietário para descobrir como a troca deve ser realizada.

Posso trocar no posto?

A nossa recomendação é que você opte por um profissional especializado, em uma mecânica. Porque, como não é um assunto simples, a consulta com um especialista é mais segura, uma vez que, caso a troca seja realizada de forma indevida, a atuação da válvula termostática, que atua de acordo com a temperatura do motor, pode reter parte considerável do líquido antigo e prejudicar seu veículo seriamente.

Como escolher o aditivo?

Você pode, inicialmente, consultar a indicação do fabricante do seu veículo. E siga as recomendações do Manual do Proprietário e do seu mecânico de confiança. Sabemos que há muitos produtos de procedência duvidosa, então, opte sempre pela qualidade comprovada.

Quando eu preciso apenas completar?

Explicando brevemente, temos que o sistema de arrefecimento do motor é composto por um circuito fechado, o que quer dizer que o fluido que percorre seu interior não deveria baixar nunca. Inclusive, quase sempre, o ato de completar com água de torneira, como muitos frentistas recomendam, é um alerta de que alguma coisa não vai bem no sistema do seu veículo, o que geralmente pode ser sinal de que há algum vazamento.

Quando isso ocorre, a recomendação é que você procure seu mecânico rapidamente. Porque, a falta de líquido no sistema de arrefecimento faz com que o motor trabalhe em temperaturas acima das adequadas. No melhor dos mundos, essa situação pode levar a danos menores, com prejuízo para o desempenho e para a durabilidade do conjunto. No pior, o motor pode fundir.

Também ocorre de haver situações em que o problema não é tão grave. E que é possível relevar pequenas variações, uma vez que podem ser decorrentes de problemas também pequenos — como a tampa do radiador que está mal posicionada ou mesmo o reservatório que não foi adequadamente fechado, o que permitiria o vazamento de parte do líquido. Nesses casos, o fluido pode ser completado, preferencialmente com o mesmo aditivo que você utilizou anteriormente. Já se o problema continuar, então, não tem jeito, precisará de uma manutenção no sistema.

Mas qual é o nível ideal?

No reservatório de água há duas marcas que indicam os níveis máximo e mínimo de líquido no sistema. Então, certifique-se em manter o líquido sempre entre esses indicadores, que tudo ficará bem com seu veículo.

Como trocar a água desmineralizada do radiador?

A maior recomendação é que seja realizada por um profissional de confiança, até mesmo para não haver danos em seu veículo. Porém, em casos de emergência, você pode seguir esses passos:

  1. Primeiramente, certifique-se de que o carro esteja frio. E NUNCA abra o reservatório de água do radiador quando o motor estiver em altas temperaturas, porque pode ser muito perigoso devido ao vapor quente em circulação no sistema.
  2. Com o motor desligado e frio, solte a mangueira do radiador para que seja possível remover o reservatório de água. Nessa hora, é importante aproveitar para lavar o reservatório, garantindo que esteja livre de impurezas que possam danificar os demais componentes do sistema de arrefecimento.
  3. Verifique se o produto adquirido é pronto uso ou concentrado. Se for pronto uso, poderá ser aplicado diretamente pois ele já é próprio para isso. Caso seja concentrado, você deverá diluir sempre com ÁGUA DESMINERALIZADA, seguindo as recomendações do rótulo do produto.
  4. Depois que inserir o líquido até a marcação indicada, é importante rosquear a tampa do reservatório com firmeza e precisão, evitando que ela fique mal posicionada a ponto de ocorrerem vazamentos no sistema. Pronto, troca realizada! Mas lembre-se, nada substitui um bom profissional para executar esta função, portanto, caso não seja uma urgência, não arrisque.

O que indica que é hora de fazer a troca?

Muitas consequências sérias ao seu veículo podem ocorrer devido à falta de água desmineralizada com fluido aditivo. O calor em demasia pode fazer com que as peças internas do motor se dilatem, aumentando o atrito entre elas e acelerarem seu desgaste/estrago.

E, devido ao superaquecimento, podem ser prejudicados gravemente outros componentes do sistema, como a bomba de água e a válvula termostática. O aumento da pressão interna do motor também pode ocasionar o rompimento das mangueiras, danificar a tampa do reservatório e apressar a deterioração do óleo lubrificante.

Em casos mais urgentes, a falta de água desmineralizada pode acabar até mesmo fundindo o motor, resultando em um problema gravíssimo ao motorista! Logo, não marque bobeira com os sinais que seu carro pode estar dando para a necessidade da verificação no sistema de arrefecimento. O superaquecimento pode provocar comportamentos estranhos do motor, como barulhos e liberação de fumaça. Fique sempre alerta.

Para averiguar os sinais, fique alerta com o olho no medidor de temperatura no painel do seu carro. Se o ponteiro começar a se aproximar da marcação vermelha, então é hora de procurar ajuda especializada para evitar os contratempos que a falta de água desmineralizada no radiador pode causar!

E, para obter Aditivos de Arrefecimento de qualidade, opte pelos produtos das marcas próprias da Rede ANCORA, Car+ e Truck+, que oferecem o melhor desempenho e segurança ao motor do seu veículo. Encontre estes e demais produtos originais Car+ e Truck+ exclusivamente em uma franquia Rede ANCORA mais próxima a você, clicando aqui. 

Continue conosco para mais informações sobre o setor!

Rede ANCORA – A Força de Uma Grande Parceria!